Logótipo da Númena

> A CRIMINALIDADE DE ESTRANGEIROS EM PORTUGAL. UM INQUÉRITO CIENTÍFICO

Partindo da constatação de que circula na sociedade portuguesa um discurso que equaciona estrangeiros e criminalidade, o que Hugo de Seabra e Tiago Santos fizeram neste estudo foi esclarecer se, uma vez controlada a interferência de outras variáveis, há efectivamente um contributo da nacionalidade para a criminalidade.

Procurando dar resposta a esta questão, a sua preocupação foi fazê-lo com base em dados quantitativos que lhes permitissem inscrever tanto o estrangeiro como o criminoso na estrutura social. Foram encontrá-los no INE, nomeadamente no censo de 2001, e no Gabinete de Política Legislativa e Planeamento do Ministério da Justiça.

Acabaram por concluir que a maior criminalidade dos estrangeiros face aos portugueses se esbate à medida que é controlado o efeito de sucessivas variáveis terceiras - pobreza, masculinidade, juventude, etc. - que, essas sim, têm uma relação real com o fenómeno da criminalidade.

O sítio do Observatório da Imigração (OI) disponibiliza este estudo na sua integralidade.

Versão para Impressão


Arrastar para navegar pelo texto
Ilustração com círculo de prisioneiros